Área Reservada | Downloads | hemoCalculadora
   

Produtos disponíveis

Crioprecipitado

Indicações:


• Doença de von Willebrand (tratamento ou prevenção);

• Hemofilia A (deficiência no fator VIII);

• Hemostase tópica em cirurgias com sangramentos severos;

• Choque e desidratação associados a queimaduras e sépsis (devido à elevada concentração de fibronectina);

• CID - consumo de fatores de coagulação e défice de fibrinogénio;

• Tratamento de leucemias linfóides (efeito antineoplásico).


Vantagem:

Permite repôr os fatores de coagulação necessários sem necessidade de transfundir grandes quantidades de sangue inteiro ou plasma, diminuindo os riscos de sobrevolémia e de reações transfusionais.

Diminuição da capacidade de formação do coágulo primário.

Contém:


Fator VIII, XIII, vWf, fibrinogénio, fibronectina e pequena quantidade de outras proteínas.

Armazenamento:


Inferior a -30⁰C, durante 1 ano.

Volume por unidade:


40-70 ml

Administração:


» Deverá descongelar a unidade dentro de um saco de plástico impermeável, em “banho-maria” de 30-35⁰C, durante 20-30 minutos, com agitação esporádica do saco; não deixe sobreaquecer visto poder ocorrer desnaturação de algumas proteínas a partir de 37⁰C. Não descongele no micro-ondas, visto haver o risco de sobreaquecimento, descongelação não uniforme e rotura da unidade.

» Deverá transfundir 2-4 ml/kg (até 5 ml/kg, em casos graves), dose única até BID, dependendo da etiologia e tempos de coagulação.

» Em caso de tratamento preventivo antes de uma cirurgia, deverá realizar-se a transfusão nas 4 horas anteriores a esta e repetir a dose cada 30 minutos durante os procedimentos cirúrgicos mais invasivos.

» A velocidade da transfusão deverá ser lenta, 2-4 ml/kg/h, visto o crioprecipitado poder apresentar uma consistência gelatinosa; a transfusão deverá durar cerca de 1 hora.

» Crioprecipitado canino apenas deverá ser usado em cães.

» A via preferida de administração do sangue é a via intravenosa, visto 100% do crioprecipitado entrar em circulação; em animais jovens ou com comprometimento circulatório, poderá usar-se a via intraperitoneal, apesar da absorção ser bastante mais lenta.

Precauções / Contra-indicações:


» Não se deverá transfundir simultaneamente Lactato de Ringer (na mesma via ou outra via parenteral). O fluído mais seguro será NaCl 0,9%, no entanto não há necessidade de infusão simultânea de cristalóides.

» Deverão ser usados sistemas de infusão com filtro.

» Apesar da tipificação sanguínea, poderão ocorrer reações adversas ou sobrevolémia. Esteja igualmente atento e monitorize o animal com regularidade.

» Não administre medicação parenteral na mesma via usada na transfusão. Idealmente, deverá realizar-se uma lavagem (flushing) dos cateteres com solução de NaCl antes e depois da transfusão.

» Deverá misturar gentilmente o conteúdo de cada saco de crioprecipitado antes de iniciar a transfusão.

» Deverá rejeitar qualquer saco danificado, perfurado ou com coágulos visíveis; a pigmentação avermelhada de algumas unidades não constitui risco para a sua administração, visto a quantidade de hemoglobina livre ser bastante baixa.