Área Reservada | Downloads | hemoCalculadora
   

Produtos disponíveis

Teste de Coagulação - ACT

Em que consiste?


O teste do tempo de coagulação ativada (“activated clotting time” - ACT) é um teste rápido e prático que permite analisar a via intrínseca e a via comum da coagulação, à semelhança do teste do tempo parcial de tromboplastina ativada (“activated partial thromboplastin time” - aPTT). O fator XII (via intrínseca) é ativado pela terra de diatomáceas (celite) presente no tubo de ACT. Este teste pode ser realizado na clínica e permite detetar qualquer coagulopatia, à exceção da deficiência do fator VII (via extrínseca).

Indicações:


O teste de ACT está indicado sempre que há suspeita de coagulopatia, estando na primeira linha de diagnóstico juntamente com a contagem de plaquetas, e permite avaliar de uma forma imediata a necessidade de administração de plasma fresco congelado ou crioprecipitado. Está, também, indicado na avaliação do grau de inflamação associada a diversas patologias (p.ex. torção gástrica, golpe de calor, pancreatite ou cirurgias agressivas), avaliando a sua progressão e servindo como fator de prognóstico. Relativamente ao teste de aPTT, o teste de ACT apresenta uma sensibilidade ligeiramente inferior, e pode encontrar-se ligeira a moderadamente prolongado em casos de trombocitopénia severa.

Como realizar o teste?


1. Realizar um aquecimento prévio do tubo de ACT a 37ºC, durante 5 a 10 minutos (p.ex. debaixo da axila ou “banho maria”).

2. Colher 3 ml de sangue, preferencialmente da veia jugular, através de uma só punção limpa e rápida. Iniciar a contagem do tempo.

3. Remover a tampa do tubo de ACT e transferir para o seu interior, rápida e cuidadosamente, 2 ml (dos 3 ml de sangue presentes na seringa). Recolocar a tampa, inverter gentilmente o tubo 5 vezes e voltar a aquecer a 37ºC (mantendo o tubo na vertical). Continuar a cronometrar o tempo.

4. Passados 60 segundos e, a partir daí a cada 5 segundos, remover o tubo da fonte de calor, e incliná-lo de forma a observar o fluxo de sangue para verificar a presença de coágulos.

5. O teste termina quando é observado o primeiro coágulo, altura em que termina a contagem do tempo.

Valores normais de referência: Cão 128-186 segundos; Cão (Galgo) 86-174 segundos; Gato 84-144 segundos.

Interpretação dos resultados:


Um resultado positivo (valores superiores aos de referência) é sugestivo das seguintes patologias: intoxicação por dicumarínicos, hemofilia A ou B, hepatopatia, CID ou síndrome nefrótico. Além disso pode indicar um estado de SIRS (Síndrome de Resposta Inflamatória Sistémica) mais ou menos avançado. Poderá ser realizado o teste de PT para identificação da via de coagulação afetada (intrínseca ou comum). Caso o resultado seja negativo (valores normais de referência), deverá realizar-se o tempo de sangramento da mucosa labial (trombopatias) e avaliar o tempo de protrombina - PT (alterações na via extrínseca). Este último é mais sensível que o teste ACT na deteção precoce de intoxicação por dicumarínicos, visto o fator VII ter o menor tempo de semi-vida. Adicionalmente poderá realizar o teste aPTT que tem uma sensibilidade ligeiramente superior ao teste ACT.

Teste de Coagulação - Surgicutt

Em que consiste?


O Surgicutt® é um dispositivo constituído por uma pequena lâmina, contida numa caixa de plástico, que permite realizar incisões uniformes na mucosa labial com 1 mm (cães grandes) ou 0,5 mm (cães pequenos e gatos) de profundidade. Permite avaliar o tempo de sangramento da mucosa labial, definido como o período de tempo entre a incisão na mucosa labial e o momento em que a hemorragia subsequente estanca.

Indicações:


Este teste é indicado em pacientes que se apresentem à clínica com hemorragia de causa desconhecida, permitindo avaliar in vivo a existência de alterações da hemostase primária. É considerado um dos melhores testes para avaliar a função plaquetária (trombocitopatia) e é especialmente importante nos casos de apresentação de petéquias e equimoses, sem evidência de trombocitopénia. Pode, também, ser utilizado para avaliar o efeito de determinados fármacos na função plaquetária, e na avalição dos efeitos da desmopressina e do criopricipitado no tratamento da doença de vonWillebrand.

Como realizar o teste?


1. Posicionar o paciente em decúbito lateral (se necessário, pode ser realizada sedação).

2. Segurar o lábio superior com uma gaze, de forma a expor a mucosa labial. Remover gentilmente detritos ou excesso de saliva presente na junção mucocutânea. Não utilizar álcool ou outros adstringentes vasodilatadores. Em gatos, caso não tolerem este procedimento, é aconselhado, após tosquia, realizar a incisão no abdómen caudal lateral ou na zona medial superior da coxa.

3. Realizar uma incisão na mucosa (labial em cães e oral em gatos) com o Surgicutt®, iniciando o sangramento capilar. A incisão uniforme do Surgicutt® impede a ruptura de vasos de maior calibre. Iniciar a contagem do tempo.

4. Colocar papel mata-borrão 2-3 mm a baixo do local de incisão, por forma a absorver o excesso de sangue, a cada 5-10 segundos. Não tocar na ferida, de forma a não perturbar a formação do tampão plaquetário.

5. Parar de cronometrar quando não se verificar absorção de sangue livre pelo papel.

6. Passados 5 a 10 minutos deverá observar-se novamente a incisão para verificar recidiva da hemorragia. Nesse caso é provável um problema na estabilidade do tampão plaquetário ou na retracção do coágulo (ambos evidência de um defeito na função plaquetária).

Valores normais de referência: Cão 128-186 segundos; Cão (Galgo) 86-174 segundos; Gato 84-144 segundos.

Interpretação dos resultados:


O aumento do tempo de sangramento da mucosa labial pode dever-se a:

- Trombocitopénia

- Insuficiência renal (urémia induz alteração funcional das plaquetas)

- Doença de von Willebrand

- Vasculite

- Fármacos (clopidogrel, aspririna e outros AINES)

- Trombocitopatia congénita (diagnóstico de exclusão)